Impressionismo

O Ocidente vivia um momento de industrialização e avanço das ciências e técnicas. Surgem o telefone, a eletricidade, o cinema e a fotografia.
A paz chega após o Segundo Império e a Guerra Franco-Prussiana, com o episódio da Comuna de Paris. Ocorrem também revoluções liberais e políticas. As cidades crescem e são implantados canalizações, esgotos, estações, mercados, parques, edifícios e iluminações na parte da noite.
O Impressionismo nasceu do Naturalismo em Paris em meados dos anos 60. Surgiu quando alguns jovens artistas resolveram buscar uma nova forma de trabalhar a arte, tanto na pintura, como na escultura. O Impressionismo constitui um momento inaugural da arte moderna.

O rio - Claude Monet, Instituto de arte de Chicago, 1868

O rio - Claude Monet, Instituto de arte de Chicago, 1868

A primeira exposição foi organizada pelo fotógrafo Félix Nadar no Boulevard dês Capucines em 25 de abril de 1874. Nadar, o fotógrafo pioneiro da história reuniu 31 artistas para a exposição. Uma das principais preocupações dos artistas impressionistas é o estudo da luz, que fotografia também abrange.
O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX. Durante este período o que é mais importante é o modo como a natureza é captada. Os artistas saem de seus ateliês e vão pintar ao ar livre.
As técnicas de claro e escuro são aprimoradas. A sombra deixa de ser escura para ser um sincronismo de cores luminosas e coloridas. O pintor deixa de misturar a tinta na palheta para trabalhar com pinceladas direto na tela, onde irá formar o reflexo da luz. A mistura deixa, portanto, de ser técnica para ser óptica. O impressionismo explora os contrastes e a claridade das cores, resplandecendo a idéia de felicidade e harmonia.
Ao olhar uma obra impressionista de perto, vêem-se apenas pinceladas separadas que parecem manchas sem contorno. Vistas de longe, as pinceladas organizam-se em os nossos olhos criando formas e luminosidade. As figuras também deixam de ter linhas e contornos nítidos.
Os artistas impressionistas não tinham mais interesse em temas ligados à nobreza, à igreja, ou em produzir retratos fiéis à realidade. Queriam ver o quadro como obra em si mesma.
No Realismo, por exemplo, os artistas costumavam pintar operários, camponeses, lavadeiras, prostitutas, comerciantes, carpinteiros e etc. Já no Impressionismo, os artistas usam os mesmos personagens, a diferença é que eles preferem captar o momento de ócio deles, como o domingo ao ar livre, um almoço na praça ou até mesmo os momentos de festas.
O Impressionismo procura captar um único instante da paisagem em intenso movimento. O trabalho do artista resume-se em sincronizar as cores como luz, cor, claro e escuro.
Os principais artistas impressionistas foram Claude Monet, Manet, Auguste Renoir, Camile Pissaro, Alfred Sisley, Vincent Van Gogh, Edgar Degas, Paul Cézanne, Mary Cassatt, Boudin, Berthe Morisot, etc. No Brasil, o maior representante Eliseu Visconti, o qual teve contato com a obra dos impressionistas e soube transformar as características do movimento conforme a cor e a atmosfera luminosa do nosso país.

~ por Tiago Piontekievicz em 29/05/2009.

Uma resposta to “Impressionismo”

  1. Eu e minha professora estamo fazendo uma pesquisa sobre o Monet,quer dizer a minha turma toda ,mas na verdade eu quero ser atriz de televisao .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: